Dê Play




RESENHA: IMPERA - GHOST

News3

O Ghost através de seu idealizador, Tobias Forge, nunca manteve-se em um único gênero do rock ou metal, sempre navegando pelos vários gêneros, e não podia ser diferente com o mais novo álbum “Impera”. A banda saiu de doom metal satânico para um gênero mais fluído do rock e hard rock.

O álbum abandona de vez a temática gótica e satânica de álbuns anteriores, e passa a falar sobre a ascensão e decadência dos impérios.

O disco inicia com a música “Imperium”, instrumental que tem o objetivo de passar a ouvinte quais os “ares” deste disco. Após, é nós apresentado "Kaisarion" , que dá o pontapé inicial aqui, que é uma nevasca de alta energia de ganchos e mudanças de tempo tingidas do progressive rock.

Depois temos "Spillways", que bebe da fonte de JOURNEY e FOREIGNER, como deixa nitidamente a música alegre, algo, até então, difícil de encontrar em álbuns do Ghost. No single “Hunters Moon” reimagina o som dos suecos como hard rock dos anos 80

Em “Watcher In The Sky!” tem forte influência de Ozzy Osbourne dos álbuns “The Ultimate Sin” até “No More Tears”, chega a ser a música mais pesada do álbum. Logo após, vem o instrumental “Dominion”, que prepara o solo para a entrada de “Twenties”, este, que deve ser a música mais criativa do Ghost, já que mistura uma sonoridade gótica com uma levada do Reggaeton, o que quebra um pouco a “vibe” que o álbum vinha trazendo.

O álbum continua com "Call Me Little Sunshine" que é uma balada triste mas romântica e um possível elo entre BLACK SABBATH e ABBA, isto é, uma balada triste. "Darkness At The Heart Of My Love" é um show quase coral com bônus de cravos e o encerramento com "Respite On The Spitalfields" é um grand finale suavemente progressivo com um coro de grandeza que soa imaculado.

O “Impera” inova pois o som do Ghost sempre foi modelado no Doom Metal até mesmo um Hard Rock Satânico, mas com esse novo álbum, eles abandonam de vez e se despregam do passado que construíram e inauguram, talvez, uma nova era do Ghost, pois não é um álbum que exala escuridão de maneira significativa, o som foi substituído por um brilho quase caricatural, pop-rock, e qualquer aparência de intenção macabra foi suavizada. 

Nota 8/10 (Por Fabricio Cunha - @fabriciodacf_ )

 

INTEGRANTES:

Papa Emeritus IV (Tobias Forge) - Vocais

Fredrik Åkesson – Guitarras

Hux Nettermalm – Bateria

Martin Hederos – Piano e Órgão

 

Tracklist de “Impera” (Gênero – Hard Rock)

"Imperium"

"Kaisarion"

"Spillways"

"Call Me Little Sunshine"

"Hunters Moon"

"Watcher in the Sky"

“Dominion"

"Twenties"

”Darkness at the Heart of My Love"

"Griftwood"

"Bite of Passage"

"Respite on the Spitalfields" 

 

Deixe seu comentário