Dê Play




Shopee deve abrir centro de distribuição em SP

News3

A maioria dos consumidores adora receber o quanto antes suas compras online, e está longe de ser um comportamento atípico. Na verdade, a entrega mais rápida é uma das tendências do comércio digital.

As gigantes do varejo como AmazonMercado Livre e Magazine Luiza estão criando — e investindo pesado — em centro de distribuição para melhorar a logística e, consequentemente, entregar melhor e mais rápido. A estratégia tem influenciado outros players do setor. Até a Shopee, plataforma de comércio eletrônico de Singapura, entrou na onda. Veja:


Shopee vai abrir armazém no Brasil?

Parece que sim. O burburinho no mundo dos negócios é que a plataforma de comércio eletrônico de Singapura deve abrir o primeiro centro de distribuição no Brasil. A expectativa é que funcione no modelo fulfillment (entenda abaixo).

De acordo com O Globo, o galpão está sendo construído em Barueri, município de São Paulo. Sim, na mesma região de um dos centros de distribuição da Amazon.

Questionada pela StartSe, a Shopee preferiu não comentar sobre o assunto.


O que é Centro de Distribuição e Logística?

Trata-se de galpão de armazenamento de produtos. É neste espaço que ficam os itens quando chegam das fábricas e antes de serem entregues nos pontos de vendas.


Por que as empresas apostam em Centros de Distribuição?

Fica mais fácil e ágil gerenciar os produtos, já que são armazenados em apenas um local. Em outras palavras, otimiza o controle de estoque, evita extravios, entre outros. Logo, clientes recebem as mercadorias com rapidez.

“A estruturação de um CD tem como objetivo principal oferecer mais agilidade às entregas, aumentando a satisfação dos consumidores com sua experiência de compra”, diz a Patrus Transportes.


O que é Fulfillment?

O conceito trazido pela Amazon e que se tornou moda entre os marketplaces, é uma solução logística em que a marca acomoda o estoque parcial ou total a um centro de distribuição de outra empresa (comum em marketplaces, por exemplo).

Depois, a empresa dona do galpão fica responsável além de armazenar, embalar, faturar, enviar e coletar devoluções.

Do lado do lojista, ele ganha tempo para administrar a empresa ao invés de cuidar da parte logística e o cliente recebe mais rápido — já que os centros de distribuição ficam em pontos estratégicos. Do lado dos centros de distribuição de marketplace, ganham a fidelização dos lojistas e as taxas cobradas.


Fonte: O Globo, Startse

Deixe seu comentário